DICAS DE LIVROS

Confira as dicas de livros que o economista Fernando Pinho preparou especialmente para você!

Guia Bibliográfico da Nova Direita: 39 livros para compreender o fenômeno brasileiro- Editora Resistência Cultura

Autor: Lucas Belanza

Personalidades tão características quanto diferentes como Edmund Burke, Friedrich Hayek, Ludwig von Mises, Olavo de Carvalho, José Guilherme Merquior, J. O. de Meira Penna, Raymond Aron, Roger Scruton, Russell Kirk, João Pereira Coutinho, Joaquim Nabuco, Carlos Lacerda, Bruno Garschagen, João Camilo de Oliveira Torres, Roberto Campos e Winston Churchill são expoentes do pensamento liberal-conservador e estão norteando a nova geração de brasileiros.

Cultuado por figuras relevantes como Rodrigo Constantino (que assina o prefácio), Rodrigo Mezzomo (autor do texto das orelhas) e Alexandre Borges, que leram os originais,  o primeiro livro  do jornalista Lucas Berlanza, propõe-se a apresentar o processo de ressurgimento de uma direita no país por um compilado de ensaios sobre alguns dos clássicos do pensamento político ocidental, de autores já consagrados pelo tempo, mas também de outros em plena atividade criadora, num diálogo entre os mortos, os vivos e os que estão por nascer, dentro da lição fundamental do conservadorismo.

Obrigado pelo Atraso: Um Guia otimista para sobreviver em mundo cada vez mais veloz- Editora Objetiva

Autor:Thomas L. Friedman

O mundo está em uma constante transformação de vários formas e  tantos aspectos e de modo tão ágil que ficamos desnorteados. Em Obrigado pelo atraso, Thomas L. Friedman discute os grandes movimentos que estão redefinindo o nosso cotidiano. Segundo o autor, para compreender o século XXI é necessário entender que as três maiores forças do planeta — a tecnologia, a globalização e as alterações climáticas — mudam numa velocidade muito alta e de forma simultânea. Vivemos, como diz Friedman, uma era das acelerações, que transforma cinco pontos-chave da sociedade: o local de trabalho, a política, a geopolítica, a ética e a comunidade. Com otimismo, Friedman mostra que podemos superar os múltiplos estresses dessa nova era se diminuirmos a marcha, se ousarmos nos atrasar e usarmos esse tempo para reimaginar a sociedade.

A Grande Saída: Saúde, Riqueza e as origens da desigualdade- Editora Intrínseca

Autor:Angus Deaton

Um dos maiores especialistas em estudos sobre pobreza recua 250 anos para traçar a impressionante história de como diversas regiões do mundo vivenciaram um progresso significativo e, assim, abriram abismos que levaram ao cenário extremamente desigual de hoje. O estudo aprofunda-se nos padrões históricos e atuais por trás das nações ricas e com boas condições de saúde, e aborda o que é preciso fazer para ajudar os países que ficaram para trás. A distribuição de riqueza não é equitativa nem proporcional. Está na mão das nações inverter as disparidades, de modo a abrir caminho para que outros também tenham acesso à riqueza e à saúde. Um poderoso guia que visa ao bem-estar de todas as nações, A grande saída demonstra como as mudanças no sistema de saúde e nos padrões materiais são capazes de transformar a vida de bilhões de pessoas.

livro aliança brasil china

Aliança Brasil China – Uma Estratégia para a Prosperidade- Editora Aduaneiras.

Autor: Charles A. Tang

O Brasil reúne mais condições do que a China, ou Japão, para ser o maior “tigre” de exportações do mundo e assim ser uma “Superpotência Econômica”! Só não o somos por nosso apego a dogmas ultrapassados que se provaram eficazes na manutenção da pobreza das nações. O modelo econômico de pobreza brasileira tem sido o resultado do nosso nacionalismo antinacionalista e da adoção de teorias econômicas equivocadas. Há pouco mais de três décadas, após Mao Zedong, a China conseguiu se libertar de sua economia ideológica de pobreza. Neste tempo, a China abraçou o pragmatismo econômico de Deng Xiaoping e provou que o caminho da riqueza não é tão longo ou demorado demonstrando como podemos criar o Modelo Econômico de Prosperidade Brasileira.

Autor: Federico Pistono

A automatização massiva de vários setores do mercado de trabalho fez cair por terra a ideia do funcionário insubstituível.  Com uma maior eficiência, as máquinas se sobressaem diante de humanos, aumentando os índices de desempregos em muitos locais. O fenômeno do “desemprego tecnológico”  que assombra a sociedade atual é realmente tão drástico como se fala ou seria uma fantasia futurística? Qual será o panorama nos próximos anos e quais serão os impactos nas relações de trabalho. O livro de Federico Pistono desvenda as consequências dos avanços tecnológicos em nossa vida e aconselha como evitar um possível colapso total do sistema.

Autor: Daron Acemoglu e James Robinson

Neste livro, Daron Acemoglu e James Robinson tratam das diferenças abissais de receita e padrão de vida que separam os países ricos do mundo, como Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha, dos pobres, como os da África subsaariana, América Central e do Sul da Ásia. Os autores fazem uma demonstração cabal de que são as instituições políticas e econômicas que estão por trás do êxito econômico (ou da falta dele). De maneira convincente, Acemoglu e Robinson afirmam que os países só escapam à pobreza quando dispõem de instituições econômicas adequadas, sobretudo a propriedade privada e a concorrência. Eles defendem, ainda, a tese original de que a probabilidade de os países desenvolverem instituições de forma acertada é maior quando eles contam com um sistema político pluralista e aberto, com disputa de cargos políticos, eleitorado amplo e espaço para a emergência de novos líderes políticos. Trata-se de uma leitura que oferece um vastíssimo leque de exemplos históricos para demonstrar como mudanças podem contribuir para instituições favoráveis, inovações progressistas e êxito econômico ou, ao contrário, para instituições repressoras e, em última instância, decadência ou estagnação.

Autor: André Lara Resende

André Lara Resende traz um conjunto de ensaios que reflete sobre as origens e o desenvolvimento da teoria monetária e suas implicações no contexto brasileiro. Juros, inflação e política fiscal recebem um enfoque inovador, baseado nas melhores investigações da atualidade, que põem em questão algumas convicções estabelecidas. Da teoria à história, os ensaios discutem as políticas comumente receitadas para a inflação crônica, a recessão e o desemprego. Este livro pretende estimular o debate, antes de criar uma polêmica fácil ou estabelecer uma “nova heterodoxia”, ao abrir uma janela de oportunidade para a reflexão sobre políticas públicas da mais alta relevância.

Autor: Leandro Karnal

Leandro Karnal quebra com o estereótipo do brasileiro pacífico. “Só eu e você, caro leitor, cara leitora, não odiamos nem somos violentos, muito menos preconceituosos”, diz Karnal. Uma frase irônica para mostrar o quanto transferimos para o outro o que temos de ruim. Um livro polêmico, provocativo e instigante no qual ele afirma que o ódio é um dos espelhos mais poderosos para olharmos nosso próprio rosto. Que a maldade é tão próxima do ódio quanto da inveja. Em tempos do politicamente correto contra os seus críticos mais ferrenhos, Leandro Karnal mostra que a história e a realidade revelam um lado sombrio do brasileiro que costumamos não reconhecer: somos violentos no trânsito, nas redes sociais e fofocas nas esquinas; somos violentos ao torcer por nosso time e ao votar; somos violentos no cotidiano. Em “Todos contra todos”, Leandro Karnal combina as características que o transformaram como um grande historiador: erudição e leveza, profundidade e humor.

 

Autor: Martin Gilbert

Para entender o nosso tempo. Martin Gilbert narra os eventos mais importantes do mundo, ano a ano: desde o advento da aviação até o estabelecimento da era tecnológica; da Primeira Guerra Mundial à posse de Hitler no comando da Alemanha; das guerras na África do Sul, China, Etiópia, Espanha, Coreia, Vietnã e Bósnia ao Apartheid, a corrida armamentista, a expedição na lua e a alvorada da era computacional. O autor vai da revolução húngara aos confrontos entre israelenses e palestinos; do colapso do comunismo no leste europeu à dissolução da União Soviética. Como sempre, Gilbert utiliza influências da arte, literatura, música e religião assim como ressalta desastres tanto naturais quanto provocados pelo homem para melhor compreensão dos fatos.

 

Autor: Luiz Felipe Pondé

O objetivo deste livro é ajudar o leitor a pensar com a sua própria cabeça. Para isso, o filósofo e escritor Luiz Felipe Pondé, autor de vários best-sellers, utiliza a história da filosofia para apresentar argumentos para quem quer dissertar sobre os mais variados temas com embasamento. Afinal, os grandes filósofos estudaram, pensaram e escreveram sobre assuntos essenciais com os quais tratamos no mundo contemporâneo. O livro está dividido em três partes: Uma filosofia em primeira pessoa, onde o autor conta como ele entende a filosofia; Grandes tópicos da filosofia ao longo do tempo, que traz um repertório básico dos temas que todo mundo precisa conhecer mais a fundo; e Por que acho o mundo contemporâneo ridículo? Uma análise ferina da sociedade atual.

livro tirania

Autor: Timothy Snyder

O historiador Timothy Snyder postou um texto no Facebook que rapidamente foi compartilhado por dezenas de milhares de pessoas, após a eleição de Donald Trump, . Ele começava assim: “Não somos mais sábios do que os europeus que viram a democracia dar lugar ao fascismo, ao nazismo ou ao comunismo no século XX. Nossa única vantagem é poder aprender com a experiência deles”. O post então apresentava vinte lições tiradas do século XX e adaptadas para o mundo de hoje – ideia que Snyder desenvolve e aprofunda em Sobre a tirania, um livro curto, para ser lido em pouco tempo, mas ao qual se deve voltar regularmente para compreender e ter a inspiração que permitam os fatos que ocorrem atualmente.

Autor: Paulo Roberto de Almeida

Questões diversas da economia brasileira e, sobretudo, os artigos regulares que Roberto Campos produziu para a imprensa brasileira a partir do início dos anos 1960, durante mais de 40 anos ininterrompidos, sobre todos os temas correntes, históricos e literários, impossível não ficar impressionado pela vastidão excepcional de seus conhecimentos sobre os mais variados assuntos. Em especial, pela justeza e pelo acertado de seus argumentos teóricos, de seus julgamentos práticos, das hipóteses e antecipações que ele formulou em torno da política e da economia mundial, assim como a explicação racional das raízes dos problemas brasileiros e sobre os meios de arrancar o país da pobreza corrigível e de colocá-lo um pouco mais perto da riqueza atingível.

Aos cem anos de seu nascimento – abril de 1917 –, Roberto Campos permanece atual, pois não conseguimos cumprir nem metade das prescrições por ele feitas, mais de meio século atrás, para aliviar nossos males. Cabe reler o que ele escreveu, o que ele recomendou e, se possível, tentar cumprir pelo menos algumas das soluções práticas apresentadas a esses problemas pelo homem que, mais do que qualquer outro intelectual da segunda metade do século XX, pensou o Brasil.

Autor: Henry Kissinger

Em Sobre a China, Henry Kissinger escreve sobre um país que conhece intimamente e cujas relações modernas com o ocidente ajudou a moldar. Utilizando-se de relatos históricos e de suas conversas com os principais líderes chineses durante os últimos quarenta anos, Kissinger examina como a China abordou a diplomacia, a estratégia e a negociação através de sua história e reflete sobre as consequências do seu crescimento acelerado para a balança do poder no século XXI, refletindo sobre episódios chaves na política externa chinesa, da era clássica aos dias atuais. Sobre a China apresenta uma íntima perspectiva histórica sobre a política internacional chinesa escrita por um dos mais importantes estadistas do século XXI.

 

Autor: Wanderley Guilherme Santos

A democracia impedida: o Brasil no século XXI, obra do cientista político Wanderley Guilherme dos Santos, traz uma análise das etapas do processo que culminou com o impedimento da presidente Dilma Rousseff. O livro foi escrito ao longo de 2016, ano em que se viu a polarização de opiniões entre os que acreditam na legalidade do impeachment da ex-presidente e aqueles que estão convencidos de ter havido um golpe de Estado, entre eles o autor. Entre os pontos que fazem parte da obra estão o exame do comportamento dos eleitores às vésperas das eleições de 2014; a reeleição da presidente, as heranças do seu governo anterior e as insatisfações políticas com medidas no novo mandato; as comparações e distinções entre os eventos de 1964 e 2016; a democracia representativa, o golpe constitucional e o golpe parlamentar.

Autor: Plínio Fraga

Silencioso nas articulações, estrondoso na tribuna, mestre da conciliação, Tancredo Neves se tornou o símbolo da redemocratização brasileira. Em seus cinquenta anos de vida pública, o político mineiro participou dos momentos mais importantes da história do Brasil. Foi ministro da Justiça de Getúlio Vargas em 1954, apoiando o presidente até o trágico fim. Primeiro-ministro da experiência parlamentarista de João Goulart em 1961. Líder do governo, senador e governador de Minas Gerais. Nos 21 anos de resistência pacífica ao regime militar, costurou a derrocada da ditadura em 1985 aceitando eleger-se presidente, ainda que sob regras não democráticas. Foi internado em estado grave às vésperas de assumir o poder. Sua morte estarreceu a população — “Eles não o deixaram tomar posse”, repetia-se pelas ruas enquanto passava o cortejo fúnebre —, porém seu legado conduziu o Brasil de volta ao caminho da democracia. Além de uma biografia, Tancredo Neves, o príncipe civil é uma grande reportagem sobre a política brasileira.

livro trabalho

Autor: Carol J. Loomis

A primeira vez que a jornalista Carol J. Loomis mencionou Warren Buffett em uma de suas matérias para a revista Fortune foi em 1966, quando ele não passava de um bem-sucedido gerenciador de fundo de investimento. Ao longo de cinquenta anos, a revista da qual Carol se tornou editora sênior publicou centenas de artigos sobre Buffett, entre eles treze de capa. Parte destes textos e trechos de cartas aos acionistas da Berkshire Hathaway foram reunidos em ‘Quando o trabalho é a melhor diversão’. Biografia da vida profissional de Buffett, o livro procura ajudar a entender como pensa um dos mais bem sucedidos investidores do mundo. Este americano de Omaha transformou sua empresa, a Berkshire Hathaway, num poderoso conglomerado econômico, que conta com participação acionária em empresas de diversos ramos.

Autor: Richard Snow

Nascido em um mundo movido a vapor, Henry Ford, um jovem fazendeiro, juntou trabalho duro, imaginação e suas habilidades inatas de mecânico, transformando a indústria no início do século XX e se tornando um ícone com suas invenções e adaptações que marcaram o mundo moderno. Mesmo quando não foi ele que inventou, Ford enxergou e exerceu o imenso potencial de cada uma das novidades da sua época. Enquanto alguns ainda encaravam o automóvel como uma máquina inútil e sem aplicação prática, Ford construiu o primeiro em sua casa com 28 mil dólares, fundando a Ford Motor Company em 1903. Richard Snow tece uma narrativa da ascensão de Ford, bem como a sua personalidade criativa por meio de sua maior invenção, o Modelo T. O livro sai do mito, investiga o homem e também as consequências de seus inventos, e apresenta uma abordagem inteiramente nova para a biografia de um personagem que está presente na vida de todos nós.

Autora: Vera Rita de Mello Ferreira

Muitas pesquisas nas áreas de psicologia econômica, finanças comportamentais e neuroeconomia, já identificaram inúmeros erros sistemáticos, que são equívocos recorrentes, cometidos pela maioria das pessoas, em situações equivalentes. São esses estudos que fornecem a base para este livro, que é escrito num estilo descontraído, e em linguagem leve e bem-humorada. Espere encontrar muitas referências ao mundo emocional e ao poder que essa esfera de nossa mente tem sobre nossos pensamentos e comportamentos, incluindo tudo o que se refere a investir e administrar o dinheiro. A gente aposta que uma leitura envolvente possa ser mais eficaz para prender sua atenção e favorecer o aparecimento de insights sobre o que você anda fazendo de certo e de errado com seus investimentos. Porque aí que está – quando a gente erra, tem sempre a possibilidade de aprender com os erros; triste mesmo é ficar só repetindo e reincidindo. Dar nomes aos bois ajuda, muitas vezes, a se pegar no pulo e a corrigir a rota, em tempo para evitar novos equívocos.

Autor: Paulo Gala

Sinopse: O livro se dirige a iniciantes em estudos de economia, leigos e também economistas que se interessam pelo assunto. O texto tem um tom informal, para incentivar o leitor a pesquisar mais sobre os temas tratados, estimular o debate e tornar a leitura mais interessante. As análises e discussões são simples, diretas e atuais, mas com forte embasamento teórico e empírico, além de trazerem recomendações de leitura adicional. O objetivo é motivar o leitor a seguir explorando os conceitos e ideais apresentados a partir da discussão de temas do dia a dia. Além de tratar de debates correntes da economia brasileira e mundial, o livro aborda temas teóricos de maneira aplicada, buscando sempre a conexão entre teoria e prática.

Autor: Míriam Leitão

Sinopse: Em A verdade é teimosa, encontram-se 118 textos produzidos desde 2010, quando falar em crise econômica parecia um verdadeiro atrevimento, até novembro de 2016, quando o governo Temer atravessava momentos de grande instabilidade política. Em linguagem clara, Míriam examina os antecedentes que levaram à recessão, à desordem fiscal e à inflação, bem como aos momentos mais agudos da crise em si. O passar do tempo demonstra que não adianta brigar com os fatos, porque a verdade é teimosa e aparece mesmo depois de ser encoberta por malabarismos estatísticos ou retóricos. O texto de Míriam joga luz sobre o passado recente do país, sem perder a esperança no futuro.

capitalismo-de-lacos

 

Autor: Sérgio Lazzarini

Sinopse:  Com uma abordagem despolitizada e livre de estereótipos, Sérgio Lazzarini explica a dinâmica do capitalismo no Brasil. O autor desvenda o poder dos relacionamentos entre os donos das principais empresas brasileiras e abre discussão para os prós e contras decorrentes da participação do Estado na economia. Lazzarini evidencia que a influência do poder dos relacionamentos entre os donos das principais empresas brasileiras e abre discussão para os prós e contras decorrentes da participação do Estado na economia. Lazzarini evidencia que a influência do poder econômico associado a interesses corporativos podem intensificar o desempenho de empresas ligadas direta ou indiretamente ao governo. Além disso, o autor explica como as privatizações iniciadas no governo FHC, o crescimento das relações comerciais com o exterior e a entrada de capital estrangeiro no Brasil foram fatores cruciais para o fortalecimento do capitalismo e para a evolução da economia brasileira no cenário global.

socidade-e-o-custo-marginal-zero

 

 

Autor: Jeremy Rifkin

Sinopse: Em Sociedade com custo marginal zero, Jeremy Rifkin argumenta que a era do capitalismo está saindo lentamente do palco mundial. O surgimento da Internet das Coisas tem levado à ascensão de um novo sistema econômico – os bens comuns colaborativos – que está transformando nosso modo de vida.

Neste livro, Rifkin explica como a Internet das Comunicações, da Energia e dos Transportes está convergindo para criar uma rede neural global, conectando tudo a todos na Internet das Coisas. Essa estrutura inteligente e indissolúvel do século XXI tem acelerado a produtividade e reduzido o custo marginal de produzir e distribuir unidades adicionais de bens e serviços – descontados os custos fixos – a praticamente zero, tornando-os essencialmente gratuitos.

Como resultado, o lucro corporativo começa a secar, os direitos de propriedade perdem força e a noção convencional de escassez econômica dá lugar à possibilidade de abundância à medida que setores inteiros da economia ingressam na web com custo marginal zero. O desafio é garantir a segurança dos dados e a proteção do sigilo pessoal em um mundo aberto, transparente e conectado globalmente.

diario-da-presidencia

 

 

Autor: Fernando Henrique Cardoso

Sinopse: Os bastidores da emenda da reeleição, crises internacionais e pressões especulativas contra a moeda brasileira, indecisões de fundo quanto à política cambial, a morte de dois fiéis escudeiros, supostos “escândalos” e chantagens. Neste volume de seus diários (1997-1998), Fernando Henrique Cardoso registra alguns dos maiores desafios – tanto políticos quanto macroeconômicos – de seus anos no poder e transmite ao leitor a sensação palpável do áspero cotidiano presidencial. Em meio à tenaz batalha para a implementação de reformas modernizadoras, tendo por aliados setores arcaicos do país ante a impossibilidade de acordo com a esquerda tradicional, o então presidente encontra tempo para reflexões premonitórias sobre o jogo de forças da política brasileira.

 

 

 

 

livro-fernando-pinhio

Autor: Fernando Henrique Cardoso

Sinopse: A articulação política para a formação do governo. O necessário convívio com o fisiologismo. As intrigas palacianas. Os atritos com o Congresso. A negociação com os setores retrógrados. A reforma do Estado. A solidão. Durante seus dois mandatos como Presidente da República (a primeira entrada data de 25 de dezembro de 1994, quando o presidente eleito mas não empossado reflete sobre a composição do ministério), Fernando Henrique Cardoso manteve o hábito quase semanal de registrar, num gravador, o dia a dia do poder.
Os diários têm a franqueza das confissões deixadas à posteridade – como de fato era a intenção original do autor. Neles transparecem as hesitações do cotidiano, os julgamentos duros de amigos próximos, os pontos de vista que mudam com os fatos, as afinidades que se criam e as que arrefecem. Para o leitor, são não só uma janela aberta para a intimidade do poder como uma ferramenta valiosa para a compreensão do Brasil contemporâneo.
Os registros orais de FHC foram transcritos por Danielle Ardaillon, curadora do acervo da Fundação Instituto Fernando Henrique Cardoso, revistos pelo autor e pela editora, e serão organizados em quatro volumes bianuais (1995-6; 1997-8; 1999-2000; 2001-2). Os dois primeiros anos compreendem quase noventa horas de gravação, decupadas a partir de 44 fitas cassete, que renderam mais de novecentas páginas.

 

 

oque-e-meu-e-seu

 

Autores: Raquel Botsman e Roo Rogers

Sinopse: Inspirado na filosofia do compartilhamento de sites como Wikipedia, Twitter e Flickr e mercados de trocas já bem conhecidos como eBay e Craigslist, o consumo colaborativo promove o surgimento de redes de empréstimos, de compartilhamento de automóveis, e até de aluguel de uma cama em um apartamento. Botsman e Rogers mostram como estamos economizando dinheiro, tempo, espaço, levando as pessoas a construir relações mais próximas e a passar de consumidores passivos a colaboradores ativos. E ganhando dinheiro com isso.

 

 

 

formacao-economica-no-brasil

Autor: Marcos Fernandes G. da Silva

Sinopse: Este livro apresenta uma releitura da formação econômica e institucional do Brasil tendo como base três ensaios fundamentais: Os Donos do Poder, de Raymundo Faoro, Raízes do Brasil, de Sérgio Buarque de Holanda, e Formação Econômica do Brasil, de Celso Furtado. E partindo daí, propõe uma tese segundo a qual o Estado brasileiro, da forma como se constitui hoje, representa um entrave ao crescimento sustentado e ao seu desenvolvimento.

Destinado a estudantes de graduação e pós-graduação em Economia, Administração, Administração Pública, Ciência Política e Direito, este livro chega para clarear o debate sobre desenvolvimento e justiça social no Brasil, colocando as questões relacionadas a esses problemas sob uma nova ótica e sob perspectivas inovadoras, influenciando o debate acadêmico e os formadores de opinião.

 

 

etica-e-economia

Autor: Marcos Fernandes G. da Silva

Sinopse: O livro Ética e Economia, do Professor Marcos Fernandes Gonçalves da Silva, professor e coordenador do Curso de Graduação da Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, traz uma contribuição fundamental para o estudo das políticas públicas, sejam elas sociais ou macroeconômicas, para o estudo de law and economics e da teoria das organizações, colocando o problema do estudo da economia no seu foco correto. Com exemplos práticos, apresentação acessível e integrando vários campos desconhecimento, o professor Marcos fornece um importante conjunto de reflexões sobre problemas que dizem respeito aos profissionais que atuam em organizações privadas, governos, no ensino de economia, administração pública, direito e política

 

 

judeus-e-o-dinheiro-no-mundo

 

 

 

 

Autor: Jacques Attali

Sinopse: Este livro relata a história das relações do povo judeu com o mundo e com o dinheiro. Os objetivos intrínsecos a esta obra são vários, mas pode-se destacar claramente que é preciso responder a perguntas difíceis: os judeus foram mesmo os usuários cuja memória a História conservou? Tiveram com o dinheiro um vínculo particular? São atores específicos do capitalismo? Beneficiaram-se das guerras e das crises para fazer fortuna? Ou, ao contrário, só se tornaram banqueiros, ourives, corretores quando lhes foi proibido o acesso aos outros ofícios? Hoje, são eles os donos da globalização ou seus piores adversários? Para responder às questões acima – e a várias outras – Jacques Attali, ex-conselheiro do presidente francês François Mitterrand, revive os principais acontecimentos da história política, religiosa, econômica e cultural dos três últimos milênios pelos quais passou a comunidade judaica.

 

 

 

judeus-e-o-capitalismo

 

Autor: Jerry Z. Muller

Sinopse: Saiba por que a experiência judaica com o capitalismo foi tão importante e complexa. Neste livro, Jerry Muller, um dos principais historiadores do capitalismo, separa a realidade do mito mostrando a relação dos judeus com o capitalismo desde o primeiro período moderno até o mundo contemporâneo. Além disso, o autor traz uma ampla visão sobre a história judaica para todos que procuram entender o drama geral da modernidade.

 

 

ascencao

 

 

Autor: Paul Kennedy

Sinopse: Paul Kennedy, famoso professor de História da Universidade de Yale, define todos os impasses das potências modernas neste best-seller mundial. Erros que se repetem, tendências, conflitos, dilemas e táticas.

Nesta fascinante crônica da política global nos últimos cinco séculos, Kennedy começa com a ascensão do Império Habsburgo e conclui com uma brilhante análise das tendências econômicas e tecnológicas de hoje para o equilíbrio de forças no século XXI, e mostra como a interação das forças econômicas e militares governa o progresso das nações.

 

 

petrobras

 

Autor: Roberta Paduan

Sinopse: Como a empresa que por tanto tempo foi espelho do que o Brasil tem de melhor se tornou sinônimo de roubo em grande escala? É o que a jornalista Roberta Paduan explica no impactante “”Petrobras – Uma história de orgulho e vergonha””, que a Editora Objetiva lança em julho. Fruto de um trabalho extenso de pesquisa e apuração, o livro narra como a estatal foi cenário de vários casos de mau uso político e desvio de verbas ao longo de sua existência, nos governos posteriores à ditadura militar, até se tornar totalmente refém de um esquema de corrupção bilionário sob as presidências de Lula e Dilma.

Repórter e editora da revista “Exame”, onde cobriu o Petrolão de perto, Roberta revê a cronologia do escândalo combinando histórias chocantes de bastidores com informações apresentadas de maneira acessível, ajudando o leitor a compreender a magnitude dos danos feitos à petroleira e seus desdobramentos. A Operação Lava-Jato surge como fio-condutor nos principais momentos, muitos dos quais ganham ares de thriller dado o ritmo do texto e o caráter cinematográfico dos personagens e suas ações. Um retrato revelador do debacle de um dos maiores simbolos do Brasil.

 

 

riqueza-e-a-pobreza

 

Autor: David S. Landes

Sinopse: O autor narra a extensa e fascinante história da riqueza e da pobreza; a criação de riquezas, as trajetórias de vencedores e perdedores e a ascensão e queda de nações. O autor estuda a história como um processo, tentando compreender como as culturas do mundo atingiram – ou retardaram – o sucesso econômico e militar e a realização material. Os países do Ocidente, afirma Landes, prosperaram cedo devido à interação, uma sociedade aberta, vital, concentrada no trabalho e no saber, o que redundou em aumento de produtividade, criação de nova tecnologias e esforço no sentido da concretização de mudanças. A vantagem essencial da Europa reside em invenção e Know-how, tal como se aplicam na guerra, no transporte, na geração de energia, e na perícia em metalurgia. Os novos vencedores econômicos estão percorrendo praticamente as mesmas estradas do poder, enquanto os retardatários fracassaram, de algum modo, na tentativa de duplicar essa fórmula crucial para o sucesso. A chave para aliviar boa parte da pobreza do mundo está em entender as lições que a história guarda para nos ensinar – lições apresentadas de forma inigualável, nesta imponente obra.

 

historia-da-riqueza

 

Autor: Léo Huberman

Sinopse: As sucessivas edições deste livro iluminador não constituem apenas um êxito editorial. Tal fato é, antes de tudo, a confirmação plena de sua importância para a vida cultural do país. Leo Huberman escreveu um livro magistral, cujo objetivo é explicar a História pelo estudo da teoria econômica e, ao mesmo tempo, explicar a Economia através do estudo da História. Huberman enlaça estas duas áreas do conhecimento humano, conseguindo tornar mais inteligível a aventura do Homem sobre a terra e patente o seu poder de transformar a vida. Essa é a grande lição que permeia o livro, uma obra que, abordando temas profundamente tão complexos, consegue manter um alto nível de transparência , de limpidez e clareza. Esta é a sua dimensão didática: ensina sem parecer estar ensinando. Não enfada: encanta. Não complica os temas: ilumina-os.

 

 

a-moralidade-do-capitalismo

 

Autor: Tom G. Palmer

Sinopse: Os ensaios neste livro tratam da moralidade do capitalismo; eles não se restringem à filosofia moral abstrata, pois também recorrem a economia, lógica, história, literatura e outras disciplinas. Além disso, ele trata da moralidade do capitalismo e não somente da moralidade do livre-comércio. O termo “capitalismo” não se refere somente aos mercados de troca de bens e serviços, que existem desde tempos imemoriais, mas ao sistema de inovação, geração de riqueza e transformações sociais que trouxeram prosperidade para bilhões de pessoas, fato inimaginável para as gerações anteriores de seres humanos.

 

 

 

Autor: Tom G. Palmer

Sinopse: As ideias apresentadas neste livro oferecem uma visão alternativa da política: uma política não da força, mas da persuasão; do viver e deixar viver; da rejeição à subjugação e à dominação. Os ensaios são, sobretudo, escritos por jovens envolvidos no Students For Liberty, um movimento internacional dinâmico e excitante; não contemplam uma restrita perspectiva nacional, mas sim a vasta gama da experiência humana, oferecendo uma introdução à filosofia vivida pela maioria das pessoas no seu dia a dia. Esta filosofia é conhecida por diferentes nomes ao redor do mundo, incluindo liberalismo, liberalismo clássico e libertarianismo. É uma abordagem que é, ao mesmo tempo, simples e complicada, já que incorpora a ideia de que regras simples podem gerar ordens complexas. Essa é uma das lições mais importantes da ciência social contemporânea: a ordem pode emergir de forma espontânea.

Munido de uma nova perspectiva, esse pequeno livro é um convite à reflexão sobre problemas importantes, destinado tanto a leigos no assunto, quanto a acadêmicos experientes. Ambos os grupos e todos com os quais interajam podem tirar proveito desses ensaios. Eles podem ser lidos de forma aleatória, isto é, o leitor pode recorrer ao livro sem ter que lê-lo por inteiro. Pense nesse livro como um saudável e saboroso alimento para a mente.

Autor: Earmon Butler

Sinopse: A economia da Escolha Pública aplica percepções realistas sobre o comportamento humano ao processo de governo, e é extremamente útil para todos aqueles que têm interesse em política pública. Se assumimos que pelo menos alguns dos envolvidos no processo político vão agir em seu próprio interesse e não no interesse público geral, temos de ter muito menos confiança no governo. Esta complexa área de economia foi resumida nesta cartilha muito clara.

 

 

como-matar-a-borboleta-azul

Autora: Monica de Bolle

 

Sinopse: Conta-se que, na década de 1970, atormentados por uma superpopulação de coelhos, os ingleses adotaram uma política tão bem-intencionada quanto equivocada, que culminou com a extinção da borboleta-azul no sul do país. O triste fim da bela borboleta é a metáfora escolhida pela economista Monica Baumgarten de Bolle para descrever a desconstrução do Brasil durante os anos de Dilma Rousseff (2011-2016). Depois de o Plano Real reduzir a inflação a patamares suportáveis e permitir a implantação de um conjunto de políticas sociais mais inclusivas, a presidente chegou ao poder determinada a reformular tudo. Na prática, sua gestão levou a economia brasileira a uma situação catastrófica cujos efeitos se farão sentir por muito tempo.
Em texto fluente, Monica de Bolle acompanha erros e desacertos da presidente, ano a ano, passo a passo, desvendando cada um de seus desatinos. Porém, no lugar de gráficos e tabelas, o leitor encontra drama, uma história de suspense e terror, com vilãs, vilões e pouquíssimos heróis, narrada com pitadas de surrealismo e saborosas citações a filmes e obras da literatura. A dura realidade ganha contornos humanos e compreensíveis mesmo para quem não tem nenhuma familiaridade com o chamado economês.

 

 

fora-da-curva

Pierre Moreau

Sinopse: Organizado pelo investidor Florian Bartunek, pelo advogado e sócio da Casa do Saber Pierre Moreau e pela jornalista Giuliana Napolitano, Fora da curva reúne depoimentos de alguns dos maiores investidores do país — como André Jakurski, Antonio Bonchristiano, Luis Stuhlberger, Guilherme Affonso Ferreira, Guilherme Aché, José Carlos Reis de Magalhães Neto, Luiz Fernando Figueiredo, Meyer Joseph Nigri, Pedro Damasceno e o próprio Bartunek. No total, eles administram cerca de 80 bilhões de reais. Muitas dessas personalidades são avessas a entrevistas, mas decidiram contar a história de suas carreiras a fim de espalhar valiosas lições de negócios para o público brasileiro.

 

 

o-minimo-que-voce-precisa

O Mínimo Que Você Precisa Saber Para Não Ser Um Idiota –  Olavo Carvalho (Editora Saraiva)

Sinopse: Escritos entre 1997 e 2013 e publicados em diferentes jornais e revistas do país, os 193 textos aqui selecionados esmiúçam os fatos do cotidiano – as notícias, o que nelas fica subentendido, ou que delas passa omitido para afinal destrinchar, sem dó, a mentalidade brasileira e sua progressiva inclinação pelo torpor e pela incompreensão. Há tempos a obra jornalística de Olavo de Carvalho merecia uma leitura reunida como esta.

 

 

investimento-em-valor

“Investimento em Valor”, de Christopher H. Browne (Editora Saraiva)

Sinopse: Há muitas maneiras de ganhar dinheiro no mercado de ações, mas investir em valor é a estratégia que tem se mostrado mais eficaz ao longo dos anos. O livro trás métodos para identificar as ações de valor e também estratégias de investimento que podem colocá-lo no caminho certo do mercado de ações.

 

 

o-investidor-inteligente

“O Investidor Inteligente”, de Benjamin Graham (Editora Nova Fronteira)

Sinopse: O Brasil vive hoje uma verdadeira revolução no mercado de capitais. Nesse contexto, não poderia vir em melhor hora a publicação em português do clássico livro de Benjamin Graham, (O Investidor Inteligente) Graham foi o principal formulador , junto com David Dodd, de uma disciplina lógica e rigorosa de investimento em ações e títulos’. Neste livro, um best-seller com mais de um milhão de cópias vendidas, o autor Benjamin nos mostra que todo o investidor inteligente deve combinar educação financeira, pleno conhecimento do mercado e, acima de tudo, uma visão de longo prazo.

 

 

a-mentalidade-anticapitalista

“A mentalidade anticapitalista”, de Ludwig Von Mises (José Olympio Editora)

Sinopse: O capitalismo é o sistema de organização econômica mais vilipendiado, difamado, criticado e caluniado que existe. Todos adoram detestar o livre mercado – de operários a intelectuais, de artistas a sacerdotes, de políticos a empresários. Mas o mais intrigante nessa história toda é que o capitalismo… funciona. Teorias socialistas e intervencionistas de toda sorte pretendem criar uma narrativa coerente para os males que acometem a civilização, e lidam com símbolos bastante convincentes: “Existem muitos pobres porque alguns são ricos”. “Existem patrões porque tantos outros não passam de empregados”. “Existem criadores porque muitos fazem o serviço braçal e mecânico”. Nada mais verdadeiro e, paradoxalmente, nada mais falso. A economia não é conta de soma zero. O sistema de livre mercado – de trocas e cooperação voluntárias – é, tão-somente, o exercício da liberdade de escolha, de empreendimento, de inventividade e diligência a serviço da sociedade humana. O capitalismo produziu muito mais riqueza e prosperidade do que todos os outros regimes que o antecederam, e essa riqueza teve como efeito uma margem ainda maior de liberdade e meios de ação para os mais pobres que, sabemos, inexiste nos países que adotaram as doutrinas marxistas. E o que mais impressiona neste ensaio fundamental de Ludwig von Mises, “A Mentalidade Anticapitalista”, talvez seja sua data de publicação: 1956. Se eu lesse este livro e desconhecesse o autor, e se me contassem que houvera sido publicado anteontem, eu nem desconfiaria. Os assuntos de que trata são atualíssimos. Bem como atualíssima é a clarividência com que o faz.

 

 

a-saga-brasileira

“Saga brasileira”, de Miriam Leitão (Editora Record)

Sinopse: Da hiperinflação ao plano Real, passando pelos congelamentos, planos que não passavam de um verão e o confisco do governo Collor, Miriam Leitão mostra como os brasileiros sofreram até a estabilização da moeda. Um livro definitivo sobre a história econômica recente do país – já esquecida pelas novas gerações.

Especialista em economia e negócios, Miriam Leitão, autora do volume de crônicas Convém Sonhar, está no dia a dia dos brasileiros através dos seguintes veículos de comunicação: O Globo, CBN, Globonews, TV Globo e, agora, também contribui para O Globo Online.

Em 2007 ganhou o prêmio Jornalista Econômico, concedido pela Ordem dos Economistas do Brasil. Foi a segunda mulher brasileira a receber o Maria Moors Cabot Prize, em 2005. Nesse mesmo ano ganhou o prêmio Camélia da Liberdade.

 

licoes-de-arquitetura

“Lições de arquitetura financeira”, de Israel Vainboim (Editora Gente)

Sinopse: A trajetória de um dos mais importantes empreendedores brasileiros e sua jornada, que reflete na história econômica recente do país.

Dono de uma visão privilegiada e participante direto de algumas das grandes passagens econômicas do país nos últimos quarenta anos, Israel Vainboim, ex-diretor e ex-presidente do Unibanco, e atual conselheiro de algumas das maiores empresas do país, conta sua história e permite que o leitor compreenda como se formam as mentes que geram riquezas e, ainda, a maneira pela qual funcionam os bastidores do mercado financeiro, no calor de suas manobras.

Neste livro, Israel compartilha suas ideias aos que, de uma forma ou de outra, por elas foram atingidos ao longo das últimas quatro décadas. É o valor de quem alcança uma meta e, não satisfeito, decide ensinar o caminho com o próprio exemplo.

os-fundamentos-da-liberdade

“Os fundamentos da liberdade”, de Friedrich A. Von Hayek (Editora Visão)

Sinopse: Este livro é uma daquelas obras notáveis que se pode ler começando da primeira página ou que pode ser compulsada como se faz com um bom dicionário ou com a própria Bíblia, abrindo-se para lê-la em qualquer parte. O título do original em inglês, “The Constitution of Liberty”, poderia ser literalmente traduzido para o português como ‘A Constituição da Liberdade’ ou então como ‘Os Fundamentos da Liberdade’.

 

 

psicologia-economica

 

“Psicologia Econômica – Estudo do comportamento econômico e da tomada de decisão”, de Vera Rita de Mello Ferreira (Editora Campus)

Sinopse: Usando o artifício de uma linguagem universal, este livro pretende ajudar qualquer pessoa que esteja interessada em conhecer o campo da psicologia econômica, independentemente de seu grau de familiaridade com o assunto. Como se trata de uma nova área de conhecimento em nosso país é provável que muita gente realmente desconheça sua existência ou sequer suspeite de como ela pode ser útil em sua vida cotidiana ou em assuntos mais vitais, como a própria evolução sócio-econômica do nosso país. Do ponto de vista da vida pessoal, o livro também pode ser útil a quem deseja conhecer mais a fundo as próprias operações mentais com relação às decisões econômicas que toma.

 

 

a-lanterna-na-popa

“A lanterna na Popa”, de Roberto Campos (Editora Topbooks) Volume I e II

Sinopse: Memórias do economista, embaixador, ministro e deputado federal, um bem escrito panorama da política, do poder, e da economia, no Brasil e no mundo, nos últimos 50 anos. Desde o lançamento tornou-se um clássico livro de referência sobre o Brasil e se transformou em best-seller, merecendo elogios entusiasmados de leitores de todos os segmentos culturais e políticos. Esgotado durante alguns anos, esta edição inclui quatro discursos – os das cerimônias de posse na Academia Brasileira de Filosofia e na Academia Brasileira de Letras, o da festa de seus 80 anos no Copacabana Palace e o de despedida da Câmara Federal. Com 48 páginas de fotos do arquivo do autor.

 

 

40

“Quarenta séculos de controle de preços e salários ”, de Robert L. Schuettinger e Eamonn F. Butler (Editora Visão)

Sinopse: Nesta obra original e academicamente bem fundada, porém de leitura agradabilíssima e francamente acessível ao público em geral, os autores colocam em um único volume os principais acontecimentos de quarenta séculos de história dos controles de preços. O retrospecto começa a partir das primeiras grandes civilizações do planeta (Egito, Mesopotânia, Índia e China), passa pela Antiguidade Clássica (Grécia e Roma), continua pela Idade Média e pela Era Moderna e termina no mundo contemporâneo, no ano de 1978 ( a edição norte-americana foi publicada em 1979).

Os preços são considerados de forma ampla e, assim, o livro registra não apenas casos de controle de preços de bens e serviços, mas também de controle de salários, de aluguéis e de juros, pois o salário é o preço do trabalho, os aluguéis, o preço do uso da propriedade e os juros, o preço do capital.

Enfocando os controles de preços, os autores fazem também um sumário da história da inflação, o fenômeno que os controles tentam anular, sem qualquer possibilidade de êxito, como atesta o levantamento que é o objeto do livro.

 

 

o-caminho-da-servidao

“O caminho da servidão”, de Friedrich A. Von Hayek (Editora Vide Editorial)

Sinopse: O Caminho da Servidão tornou Hayek o maior teórico liberal em uma época em que a teoria do Welfare State (Estado de Bem-estar Social) de John Maynard Keynes (1983 – 1946) era a mais aceita. Após alguns anos, Hayek e alguns intelectuais da época, entre eles Milton Friedman, formaram a Sociedade Mont Pelerin.

Em 1950, Hayek assumiu a cátedra na Universidade de Chicago, onde permaneceu até 1962. Além da economia, nesse período Hayek estudou psicologia e publicou, em 1952, o The sensory order, onde defende que a mente é um sistema adaptativo. Estudou ainda metodologia, área na qual criticou a utilização dos métodos utilizados nas ciências físicas nas ciências sociais, e teoria política, na qual buscou soluções para que seu modelo de economia não planejada fosse garantido. Em 1960 publicou Os fundamentos da liberdade, livro no qual descreve, sob o seu ponto de vista, quais seriam as atribuições do Estado.

Em 1962 retornou a Europa, e se estabeleceu na Alemanha Ocidental, onde atuou como professor da Universidade de Friburgo até 1968, quando voltou a Áustria. Atuou na Universidade de Salzburgo até se aposentar, pouco menos de 10 anos após seu retorno a Áustria.

Seus estudos em relação a economia (interdependência entre fenômenos econômicos, sociais e institucionais e teoria da moeda) lhe renderam o Premio Nobel em 1974, honra que dividiu com Gunnar Myrdal.

Suas publicações posteriores ao Premio Nobel foram: Desestatização do dinheiro (1976), Studies in philosophy, politics and economics (1980), Desemprego e política monetária (1981), os três volumes de Direito, legislação e liberdade (1974 – 1976 – 1985) e A arrogância fatal: os erros do socialismo (1988).

 

liberdade-de-escolher

“Liberdade de escolher – O novo liberalismo econômico”, de Milton e Rose Friedman (Editora Record)

Sinopse: Clássico entre os clássicos, Liberdade para Escolher é um dos livros de economia mais influentes do século xx. Publicado nos inícios dos anos 80 e corolário de uma escola de pensamento nascida duas décadas antes em Chicago, a obra de Milton e Rose Friedman postula como princípio básico a eficácia dos mercados livres. Para os autores, a economia e a liberdade estão intrinsecamente ligadas, pelo que o intervencionismo governamental deve ser reduzido ao mínimo. As teorias de ambos – que abarcam desde a redução da despesa estatal a políticas monetárias e sociais (educação, desemprego) – foram determinantes no nascimento do modelo econômico hoje vigente. Mas até que ponto os autores foram bem interpretados? E em que medida a aplicação prática das suas teorias foi determinante para o modo como a economia mundial evoluiu nos últimos 30 anos? Para perceber o mundo de hoje temos de voltar atrás. E temos de reler, com atenção, a obra que para todos os efeitos mudou o curso da economia planetária.

 

 

tirania-do-status

“Tirania do Status Quo”, de Milton e Rose Friedman (Editora Record)

Sinopse: Tirania do Status Quo – Segundo Friedman, ambas as suas principais obras [“Capitalism and Freedom” (1962) e “Free to Choose” (1980).] foram recebidas de forma totalmente distinta. Tal ocorreu, segundo o autor, não pela qualidade intrínseca das obras ser diferente, não por razões intelectuais ou filosóficas, mas fruto da experiência percebida pelas populações, em especial em virtude do aumento dos impostos e da inflação provocados pelas políticas keynesianas e socialistas. Para Friedman, o combate ao mainstream socialista, a afirmação do primado da liberdade e das opções políticas de uma sociedade não Utópica não se faz contrariando a sedução de um futuro sem esforço, mas “mantendo as opções em aberto até que as circunstâncias tornem a mudança necessária”. As dificuldades encontradas quando se combate o socialismo reinante deve-se ao que o autor apelida de “Tirania do Status Quo”, à inércia que existe na sociedade civil, e sobretudo, no universo estatal, que limita a mudança de paradigmas. Só as crises – atuais ou percebidas – são aptas a produzir mudanças efetivas.

Para o autor, não há decisões sem ideias, e portanto ele preocupou-se, sobretudo, em estar disponível para o debate, de forma a que, na ocorrência da crise, as suas ideias pairassem por aí, estivessem suficientemente maduras e acessíveis para ajudar a construir pontos de inversão ou viragem: amadurecer ideias, estar disponível, “até que o que antes era considerado politicamente impossível se torne politicamente inevitável”.

 

 

o-valor-do-amanha

“O valor do amanhã”, de Eduardo Giannetti (Editora Cia. das Letras)

Sinopse: Os juros fazem parte da vida de todos – aparecem tanto nas discussões sobre o crescimento econômico da nação como em aspectos miúdos do dia-a-dia. O princípio econômico é simples: o devedor antecipa um benefício para desfrute imediato e se compromete a pagar por isso mais tarde, e quem empresta cede algo de que dispõe agora e espera receber um montante superior no final da transação. Em O valor do amanhã, Eduardo Giannetti defende que este aspecto dos juros é apenas parte de um fenômeno natural maior, tão comum quanto a força da gravidade e a fotossíntese.

A questão dos juros “não se restringe ao mundo das finanças, [mas atinge] as mais diversas e surpreendentes esferas da vida prática, social e espiritual, a começar pelo processo de envelhecimento a que nossos corpos estão inescapavelmente sujeitos”, diz Giannetti. Desde o momento em que aprendeu a planejar sua vida, o homem antecipa e projeta seus desígnios usando esta prática. Mesmo antes disso, a noção de juros já “está inscrita no metabolismo dos seres vivos e permeia boa parte do seu repertório comportamental”. A prática de dieta, a dedicação aos estudos e os exercícios físicos para melhorar a saúde são situações da vida prática nas quais se manifesta a realidade dos juros.

É desta maneira original que Giannetti analisa o tema. Ao extrapolar os limites financeiros do fenômeno, o autor mostra que questões concretas – como a alta taxa de juros no Brasil – têm raízes comportamentais e institucionais ligadas à formação de nossa sociedade. O autor ainda discute os problemas éticos da prática de juros extremamente elevados. Apesar de não se propor a “oferecer receitas ou saídas”, o trabalho de Giannetti “reflete as experiências, preocupações e esperanças de um cidadão brasileiro enfronhado nas realidades e aspirações do seu país”.

 

arvore-do-dinheiro

 

 

“A árvore do dinheiro – Guia para cultivar a sua independência financeira”, de Jurandir Sell Macedo Jr. (Editora Insular)

Sinopse: Em sua primeira edição digital, “A Árvore do Dinheiro” já é um clássico da bibliografia de Finanças Pessoais no Brasil. Livro que inaugurou a coleção ExpoMoney, escrito pelo doutor em Finanças Comportamentais e professor da Universidade Federal de Santa Catarina, Jurandir Sell Macedo trata de um tema que aflige boa parte dos brasileiros: como cuidar bem do próprio orçamento e investir sem medo para ter segurança hoje e sempre.

Por que devo ler?

Com linguagem simples e sem jargões do mundo das finanças, “A Árvore do Dinheiro” é um verdadeiro guia que leva o leitor a compreender a essência de uma relação saudável com o dinheiro. Seguindo apenas seis passos, é possível ser bem-sucedido e viver dentro dos próprios padrões de conforto e satisfação. E o melhor: tudo por meio de pequenas atitudes que podem ser tomadas no dia a dia. Afinal, economizar não é, de forma alguma, eliminar o supérfluo. “Em larga medida, é o supérfluo que traz sabor à vida,” defende o autor.

Quais as novidades desta edição?

Este livro pioneiro foi lançado pela primeira vez em 2007, reeditado em 2010 e atualizado em 2013. A nova edição traz pesquisas inéditas e dados recentes, incluindo as melhores oportunidades do mercado financeiro para o cenário econômico atual, com foco em investidores que querem tornar seus sonhos realidade e planejar uma vida tranquila no futuro. A tese de ganhos, a partir de investimentos constantes e retiradas constantes ao longo dos anos, defendida desde a primeira edição, ganha novos dados e se mantém como a melhor estratégia para quem quer construir um sólido patrimônio – mesmo em meio a crises ou oscilações do mercado financeiro.

Que informações vou encontrar neste livro?

São ao todo seis capítulos com as informações necessárias para que o leitor possa alcançar a independência financeira. A primeira parte leva a uma autoanálise sobre como a pessoa encara o dinheiro, o que pensa sobre felicidade e o que espera de sua vida material. A partir disso, é possível partir para a prática: o leitor aprende, em seis passos, como fazer um orçamento, delimitar objetivos concretos e realizar seus sonhos. Os capítulos seguintes trazem de forma simples as principais teorias de finanças e como plantar e regar a semente da árvore do dinheiro aplicando em fundos e clubes de investimento, em Tesouro Direto e na Bolsa de Valores.

Quem é o autor?

“A Árvore do Dinheiro” é resultado de 30 anos de estudos e prática do consultor de Finanças Pessoais Jurandir Sell Macedo, o primeiro especialista da área no Brasil e um dos fundadores do Instituto Brasileiro de Planejadores Financeiros. Macedo criou a primeira disciplina de Finanças Pessoais em uma universidade brasileira, a Universidade Federal de Santa Catarina. A cadeira é oferecida a alunos de todos os cursos e até hoje é uma das mais disputadas por graduandos da UFSC.

 

 

a-bola-de-neve

“A bola de neve – Warren Buffett e o negócio da vida”, de Alice Schroeder (Editora Sextante)

“A vida é como uma bola de neve. O importante é encontrar neve úmida e uma colina bem longa.” – Warren Buffett

Sinopse: Este é o livro definitivo sobre a vida de um dos homens mais respeitados e fascinantes do mundo: Warren Buffett. O lendário investidor pela primeira vez autorizou alguém a produzir sua biografia, concedendo a Alice Schroeder acesso irrestrito a seus familiares, amigos e parceiros – e, é claro, a ele mesmo.
A autora mergulhou a fundo na vida do empresário, desvendando sua personalidade, suas lutas, seus triunfos e seus momentos de sabedoria e de insensatez. O resultado é a história de um dos maiores personagens de nosso tempo, uma figura complexa e interessante que se tornou uma lenda viva pela fortuna que construiu e, sobretudo, pelas idéias, causas e valores que defendeu.

Esta biografia apresenta a trajetória de Buffett desde sua infância, nos anos que se seguiram à Grande Depressão, até os dias de hoje. Ao longo de 60 anos, Buffett fez fortuna identificando valor onde ninguém via e aproveitando-se dos momentos de crise enquanto a maior parte dos investidores recuava. Dono de um profundo conhecimento e instinto empresarial, além de uma notável capacidade de fazer amigos, sua vida é uma verdadeira aula de negócios, cheia de histórias saborosas e de ensinamentos valiosos.

Warren Buffett é uma mistura de força e fragilidade. Por mais notável que seja sua conta bancária, seu legado não é simplesmente a posição que ocupa no ranking das maiores fortunas, mas os princípios e ideais que enriqueceram a vida de tantas pessoas ao redor do mundo.

 

 

rapido-e-devagar

“Rápido e devagar, duas formas de pensar”, de Daniel Kahneman (Editora Objetiva)

Sinopse: Nesta obra, Daniel Kahneman procura mostrar as formas que controlam a mente – o pensamento rápido, intuitivo e emocional e o devagar, lógico e ponderado. Daniel busca mostrar a capacidade do pensamento rápido, sua influência persuasiva nas decisões e até onde se pode ou não confiar nele. Segundo a obra, o entendimento do funcionamento dessas duas formas de pensar pode ajudar em decisões pessoais e profissionais, trazendo a tona muitas questões da psicologia financeira.

 

 

amador-aguiar

“Amador Aguiar, uma história de intuição e pioneirismo”, de Pedro Cavalcanti (Editora Grifo)

Sinopse: Biografia do empresário Amador Aguiar, narrando episódios de destaque da história econômica brasileira do último século, e a trajetória do fundador de uma das maiores instituições bancárias do país.

 

contra-a-mare

“Contra a Maré Vermelha – Um Liberal sem medo de patrulha”, do economista Rodrigo Constantino (Editora Record)

Sinopse: Rodrigo Constantino é um livre-pensador, debatedor incansável, defensor incondicional das liberdades individuais e dos valores republicanos – e, se não estivéssemos no Brasil, seria mesmo inacreditável que tal conjunto de características fosse o principal motivo para criar tanta polêmica.
Contra a maré vermelha reúne 80 crônicas de Rodrigo Constantino publicadas no jornal O Globo entre 2009 e 2014. Sempre de modo original, e sem medo de patrulha, o autor destrincha o país em que vivemos e mais uma vez mostra porque é uma voz incontornável para o Brasil que não barganha com a democracia.

 

 

pai-rico-pai-pobre

“Pai Rico, Pai Pobre – o que os ricos ensinam a seus filhos sobre dinheiro”, de Robert Kiyosaki e Sharon Lechter (Editora Elsevier)

Sinopse: Um dos livros mais falados da última década, abriu os olhos do mundo para a necessidade de pensar o planejamento de finanças pessoais. Pai Rico, Pai Pobre foi o primeiro best-seller de Robert T. Kyiosaki e Sharon Lechter, e deu origem a uma série de enorme sucesso. Seu conceito é muito simples: com maior inteligência financeira muitos problemas comuns da vida cotidiana podem ser resolvidos. Saiba o que os ricos tratam como ativos geradores de renda e como se livrar de pagar impostos demais. A cada dia, a cada nota você escolhe ser rico, pobre ou classe média. A melhor maneira de preparar seus filhos para o mundo é dividir esse conhecimento com eles. Se você não fizer isso, ninguém mais fará. Determine o destino do dinheiro que chega às suas mãos.

 

 

desbirando-a-pagina

“Desvirando a página. A vida de Olavo Setubal”, de Ignácio de Loyola Brandão e Jorge J. Okubaro (Global Editora)

Sinopse: Este livro revela os segredos de um homem que levou para o banco métodos de engenharia, revolucionando e modernizando a maneira de administrar uma instituição financeira. A vida pessoal, as emoções, os sonhos e as vitórias, as ambições e as conquistas e toda a genialidade deste empreendedor brasileiro está em ‘Desvirando a página – a vida de Olavo Setúbal’.

 

soros

“Soros. A vida de um bilionário Messiânico”, de Michael T. Kaufman (Imago Editora)

Sinopse: Nascido em uma família judia em Budapeste, George Soros, aos quatorze anos, precisa se afastar dos pais. Para sobreviver à Segunda Guerra precisa viver disfarçado. Aos dezessete chega a Londres para estudar na London School of Economics. Sem dinheiro, mas, àquela altura, sem precisar de disfarce, sonha com a glória e em mudar o mundo. Ambicioso vai para New York em 1956 com cinco mil dólares e começa a carreira em Wall Street. A história do megainvestidor George Soros, dono de uma fortuna avaliada em bilhões de dólares, está em Soros, A Vida de Um Bilionário Messiânico, que chega às livrarias com selo da Imago Editora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *